Notícias / Rio

31/05/2012 11:04

Helipontos do Mirante Dona Marta e do Morro da Urca são embargados

Medida não tem como objetivo impedir o turismo panorâmico na cidade, mas regularizar os voos de helicópteros.

Agência Rio

print

Os helipontos do Mirante Dona Marta e do Morro da Urca, na zona sul do Rio, foram embargados e lacrados na última segunda-feira (28) por agentes da Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca), da Secretaria de Estado do Ambiente, e por técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). Eles não tinham Licença de Operação (LO) do Inea para funcionar.

O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, e a presidente do Inea, Marilene Ramos, participaram da operação. Segundo Minc, a medida não tem como objetivo impedir o turismo panorâmico na cidade, mas sim regularizar a situação dos voos panorâmicos de helicópteros por regiões do Rio, em especial nas regiões do entorno do Corcovado e do Pão de Açúcar.

Foto: Salvador Scofano/Governo do Estado RJ

Várias associações de moradores, em especial de bairros da zona sul, como Jardim Botânico, Humaitá e Urca, reclamam desses voos turísticos: o número de helicópteros aumentou muito e os voos são promovidos em geral à baixa altitude e com grande frequência, prejudicando a qualidade de vida em várias regiões da cidade.

No ato de embargo do heliponto instalado no topo do Morro Santa Marta, no chamado Mirante Dona Marta, na via de subida para o Corcovado, o secretário do Ambiente afirmou que serão feitos dois programas de fiscalização: um de observação da rota dos voos das aeronaves e o outro, de monitoramento de ruído em quatro pontos da região, nas proximidades do Hospital da Lagoa, na Urca, no Mirante Dona Marta e no Humaitá.

O objetivo principal dessa ação de fiscalização do governo estadual é identificar quantos e quais são os voos para, a partir daí, serem propostas regras que visem a poupar a saúde auditiva dos moradores e visitantes da cidade.

“Queremos uma cidade aberta para o turismo, mas não a qualquer custo. Queremos uma atividade dentro da lei e que impacte o mínimo possível a saúde auditiva da população. Nos últimos dez anos, o número de helicópteros cresceu de 60 para 380 na Cidade do Rio de Janeiro”, afirmou Minc.

Segundo Marilene Ramos, os helipontos fiscalizados permanecerão lacrados até que seus responsáveis se adequem à legislação. "No início, era uma atividade pequena, com poucos helicópteros. Uma atividade de baixo impacto ambiental do ponto de vista de ruído. Do ponto de vista de localização, o Instituto Chico Mendes, gestor dessa área, deu essa licença para construir o heliponto. Agora, como a atividade cresceu muito e o impacto ambiental também, surgiu a necessidade de se fazer essa regulação através de uma licença de operação", explicou.

Quatro helipontos haviam sido vistoriados, em 15 de maio, em ação de fiscalização promovida pela SEA e pelo Inea, que estão empenhados em organizar a operação de voos turísticos de helicópteros por regiões da Zona Sul da cidade, em especial no entorno do Corcovado e do Pão de Açúcar. Dos quatro helipontos vistoriados, constatou-se que dois estavam funcionando sem a devida licença de operação: os dos morros Santa Marta e Urca. As licenças poderão ser concedidas ou não, depois que autoridades ambientais analisarem detalhes da operação desses voos, como rotas e alturas, de forma que não prejudiquem a qualidade de vida dos moradores. Enquanto isso, os dois helipontos permanecerão embargados.

Compartilhe esta matéria com seus amigos

Comentários comente esta matéria

Ainda não existem comentários para esta matéria. Seja o primeiro a comentar!

Comente esta matéria

* Todos os campos são obrigatórios

Vídeos

Tv+ Rio - Sítio Carvalho Plantas - Semana 24

Tv+ Rio - Usina - Semana 24

Como anunciar


  • Notícias
  • Esportes
  • Diversão
  • Editorias
  • twitter

    Twitter:
    Siga o Metro Magazine

    © 2010-2011 Metro Magazine. Todos os direitos reservados.